Minha viagem pra terra do Tio Sam parte II

Ola pessoal como vão? Dando continuidade a minha história da viagem que fiz a Califórnia,depois que o Roger,o Andy,a Érica e eu nos estabelecemos no hotel,eu havia decidido tomar um banho e ir pra famosa rua onde existe uma grande concentração de homens gays em São Francisco.

A rua é a Castro Street e leva esse nome devido a um enorme teatro/cinema chamado Castro,aliás linda a fachada do Castro Theater.

Castro-Theater

Quando cheguei a rua dei uma caminhada pela rua e ainda tive a chance de encontrar um Museu LGBT nessa rua,eu achei fantástico o museu,fala sobre a história da cidade e uma coisa que achei muito bacana que não sabia é o motivo de São Francisco ser considerada a meca gay,coisa que fiquei sabendo nesse museu.
castrost
C
omo alguns sabem,os EUA nos anos 30,40 e 50,houve uma forte perseguição a homossexuais e negros e o caso de São Francisco ocorre é que durante a Segunda Guerra Mundial todo soldado suspeito de comportamento homossexual era enviados São Francisco a uma das bases militares americanas ali localizadas para se fazer uma avaliação a respeito do destino do soldado,acabou que no fim dos anos 50 a grande maioria acabou sendo dispensada,a base militar se diluiu e os soldados suspeitos ficaram por ali mesmo e se estabeleceram por ai.Aliás soldado gay é um dos meus grandes fetiches kkk mas deixa quieto,a fama de meca gay de São Francisco só veio nos anos 70 quando houve uma grande migração de homossexuais para lá.

Bem enfim,deixando esse papo cultural de lado,eu amei o museu,mas depois fui conhecer mais a rua e nossa senhora é muito homem bonito circulando livremente naquele lugar hahaha todos que eu achava bonitos eu dava uma olhadinha e percebia que muitos olhavam de volta.Dai fui a um bar muito bacana nessa mesma rua chamado Twin Peaks,é um bar LGBT,ele apesar de no dia ter achado meio apertado,talvez pelo fato de ter muita gente lá dentro,acabei gostando,sentei num longo balcão de madeira e fiquei bebendo chop e observando o movimento.

Sério,ali é super ponto de paquera,perdi a conta de quantos caras vieram puxar papo comigo,muitos deles bastante bonitos que se estivessem soltos pelas baladas de São Paulo os gays estariam disputando no tapa hahaha.
Teve um que chegou em mim com uma abordagem mais discreta e menos direta que os demais,esse eu resolvi dar um pouco de papo,chamava George,era um cara que nem perguntei a idade,mas aparentava ter algo entre os 36 ou 38 anos,já era um cara bem maduro,fazia o estilo meio ursão,cabelo castanho puxando pro loiro,era bem bonito.

Sentou ali do meu lado no balcão e de cara perguntou se eu era turista,dei risada e perguntei como ele sabia,ai me disse que turista tem postura de turista e dá pra reconhecer só de olhar.Depois de um tempo que fiquei conversando com ele,ele foi ao banheiro e nesse meio tempo chegou outro cara em mim que não dei muita conversa,o George voltou e ficou sentado no mesmo lugar sentado sem interromper o assunto,eu só respondia o que o sujeito perguntava e logo ele desistiu e foi embora.Continuamos o papo e depois de um tempo decidi que queria conhecer mais a rua,quando levantei do banco o George pegou pelo meu braço e perguntou se eu poderia passar algum contato meu pra ele,acabei dando meu número de celular e passei meu facebook pra ele e ele me deu o número do celular dele,quando voltei de viagem o papelzinho que ele me deu ainda tava dentro do bolso.rsrs

Bem continuei andando pela rua e acabei decidindo que queria ir pra uma balada,acabei indo em um Club chamado The Cafe,acho que é o mais badalado dali,tinham outros,mas esse quando passei na porta foi o que me animou de entrar,isso depois de ficar zanzando de cima pra baixo pela rua.

cafe

Antes de eu entrar dei uma ligada pro Andy pra saber se tava tudo bem,ele atendeu e disse que tava dando uma volta com a Érica e o Roger ficou dormindo no hotel,dai disse que iria pra uma boate e que quando estivesse saindo e ligaria pra ele,ele disse que tudo bem e desligou.

O interior da boate é maravilhoso,uma decoração linda,um palco enorme que rolou diversas atrações,o que mais me deixou impressionado foram os drinks que são excelentes e não são caros,se for comparar as porcarias que tomamos aqui em SP pagando o olho da cara,eu paguei foi barato e sai no lucro lá.

Passei uma boa parte da noite sozinho,só experimentando um drink atrás do outro e é claro que isso ia dá merda,sim eu fiquei bêbado e nem estava percebendo em uma terra completamente estranha onde eu não conhecia ninguém.Mas assim,estava bêbado,mas não no sentido de está caindo pela tabelas,mas por que eu estava alegre demais,dançando demais e totalmente desinibido apesar de está sozinho,mas eu ainda tinha consciência do que eu estava fazendo e onde estava.rsrs

Acabei sentido que pela minha forma de dançar acabou meio que chamando a atenção da boate tanto que teve uma hora que estava rolando um show de drags no palco e Drag falou no microfone se dirigindo a mim,não lembro exatamente o que ela disse,mas ela falou pra mim,eu só sorri e levantei o copo estava segurando,certo momento alguns caras começaram a chegar a mim,mas desde quando entrei eu já tinha visto um cara que pensei que se ele chegasse em mim eu ficaria,era um urso que tinha todo o jeitão todo que eu gosto, algo entre Jason Statham,não era parecido,mas era um cara nesse estilo,com cara meio fechada,tava usando uma camisa que deixava um pouco amostra que tinha pêlos no peito,enfim….acho que dá pra imaginar como era né? rsrs

O primeiro que chegou em mim que eu lembro era um cara que parecia ser oriental,mas falava inglês de maneira fluente,fui educado com ele,mas comigo não rola eu realmente não me atraio por orientais,lembro de ter conversado com mais uns 3 caras e ter beijado um desses rapidamente,mas nada demais tbm.

Dai teve uma hora que fui ao banheiro que tinha uma espécie de corredor onde rola amasso solto,quando cheguei ao banheiro tinha uma pequena fila e o tal cara que eu tinha visto na entrada tava na fila,como eu já tava meio bêbado sei que eu fiquei encarando ele na maior cara de pau e ele percebeu,deu uma risadinha e continuou olhando pra porta esperando,ai ele entrou e eu fiquei na fila,depois de um tempo ele saiu e me encarou de volta,eu claro pra demonstrar interesse olhei de volta e virei o pescoço pra olhar pra trás…rsrs nessa hora eu pensei “fisguei o peixe haha”,entrei no banheiro,mijei e quando sai ele tava no corredor me esperando,velho a situação foi tão no “pá-pum”…não perguntou nome,não perguntou nada,simplesmente me agarrou com uma força danada e começou a me beijar de maneira até bastante agressiva,eu não liguei por que no fundo no fundo eu gosto hahahaha.

Sai do corredor e fui pro local onde pega as bebidas,peguei mais um drink e ele veio junto,quando eu tava pegando as bebidas,um amigo dele chegou perto dele,falou algo no ouvido dele e foi embora,ele ficou,continuei bebendo mais alguns drinks com base em vodka e vodka me altera muito,perco a memória,fico muito alterado e faço monte de coisa involuntária do tipo “me chamou já to indo”,depois fui pra pista dançar mais um pouco e dessa vez dancei junto com ele,ele era meio durão meio sem jeito e comecei a rir e ele ficou meio sem graça e parou de dançar.Fui pra um canto da boate e me peguei de novo com ele,nessa hora eu já tava com o tesão a flor da pele com tudo subindo lá embaixo e pelo visto ele tbm tava pq eu senti rsrs,foi ai que ele abriu a boca pela primeira vez pra falar alguma coisa comigo que foi “quer ir pra minha casa?”…haha e eu era doido de recusar? hahaha

A casa dele era bastante perto do lugar,era umas seis quadras de distância mais ou menos de onde a gente tava,no meio do caminho tentei puxar algum papo,mas minha cabeça não tava conseguindo elaborar frases e assuntos direito por causa da vodka haha acabei decidindo ficar calado até chegar na casa dele.A casa era pequena,cozinha,banheiro,um quarto grande e uma sala,tinha um cachorro também que não sei de qual raça era,chegando lá ele me ofereceu uma água e mais uma whisky que ele tinha lá,pra não fazer feio,como ele já estava bebendo acabei aceitando,bem enfim…sem enrolar muito, acabamos transando e meu problema com caras que gostam de ser ativos também apareceu nesse caso,eu to tentando aos poucos tentar me acostumar e aprender a curtir,enfim,não é exatamente um impedimento ser passivo pra um cara,a coisa é aprender a gostar mesmo,mas nesse caso dele até curti,já que cada um teve sua vez,porém ele tinha uma pegada bem “hard” por assim dizer,o que pra mim se torna duplamente problemático.rsrs

Só sei que depois de termos transado pra caramba acabei caindo no sono e quando acordo e olho pro relógio….PQP já era 15:00 do outro dia,a primeira coisa que eu pensei foi no Andy e que eu tinha que ligar pra ele,fiquei um tempão tentando contatar ele e nada dele me atender,o cara continuava dormindo,acabei decidindo não acorda-lo e sai de fininho.Na rua tentei ligar pro Andy mais algumas vezes e nada foi ai que decidi ir pro hotel,quando chego lá,os quartos onde o Andy e Érica estavam já havia sido desocupado,o Roger tbm não estava no quarto onde nós estávamos,quando fui na recepção só fiquei sabendo que a conta do meu quarto,no caso,meu e do Roger ainda estava em aberto,acabei pagando e arrumando um jeito de pegar um ônibus que me levasse pra Sacramento,o pior de tudo era a ressaca que eu tava.PQP

Quando cheguei no hotel vi a Érica e ela me falando que estava preocupada tentando me ligar,mas não conseguia,nem fiquei pra ouvir as desculpas dela,subi pro quarto e fui descansar,na hora que tava deitado lembrei do cara de novo,da pegada dele e só ai me dei conta que nem ao menos sabia o nome ou idade do sujeito,esse vai ficar só pra memória do momento mesmo.É a vida.rsrs

Minha viagem pra terra do Tio Sam.

Olá pessoal tudo bem?! Como havia contado no último post,eu acabei sendo convocado a ir pra Califórnia à trabalho por duas semanas em função de ter inglês fluente.Quando soube da notícia fiquei muito feliz,a única vez que eu havia saído do país foi pra ir à Argentina,mas nunca havia ido pra um local tão distante assim.Quando soube falei pra todos os meus amigos que ficaram muito felizes por mim e acabei falando pro “D” também.Ele ficou feliz por mim e só perguntou quando eu iria,eu só respondi que tinha que arrumar a documentação que em 3 semanas eu estaria embarcando.

No dia do embarque minha mãe,a Denise,o meu amigo que eu divido o apartamento e o “D” estavam lá pra se despedir,a Denise estranhou o fato do “D” ter ido lá,por que não havia comentado com ela que eu havia voltado a conversar com ele,eu queria evitar a chatiação de ter que ficar dando maiores explicações pra ela,na hora que fui comprar algo pra comer enquanto esperava o voo sair a Denise veio junto comigo e perguntou do “D”,dai falei que havia voltado as boas com ele,mas que no momento éramos só amigos mesmo,ela só riu e falou “É você não tem jeito mesmo!!”

Na hora de embarcar eu despedi de todo mundo,eu estava muito nervoso,a ideia de ir pra um lugar distante que nunca estive antes,outro hábito,outra cultura….fora o fato da ideia de que estava prestes a entrar em um “troço” mais pesado que o ar…
Na hora de despedir minha mãe deu o sermãozinho básico de mãe,despedi rapidinho da Denise,do meu amigo e do “D”.E dai eu fui……

sacramento

Fiquei na cidade de Sacramento,é uma cidade muito bonita e fui pra lá com mais duas pessoas do trabalho,uma moça chamada Érica e um rapaz chamado Antônio Tobias,eu só chamava ele de Tobias rsrs nunca tinha visto eles antes no trabalho e ficamos no mesmo hotel.

Chegamos ao Hotel e o Hotel era muito bom,aliás nunca fiquei em um hotel tão bom antes e isso tudo por conta da empresa.

O que eu mais gostei da cidade de Sacramento foram as cafeterias,todos os dias eu ia em uma que ficava próxima ao hotel.Meu trabalho foi algo muito simples,bastava fazer anotações dos assuntos tratados nas reuniões que eu era convocado todos os dias com os representante da empresa americana que tinha sede na Califórnia.

Pra mim tudo tava com cara mais de umas férias do que trabalho realmente,eu acordava as 9:00 da manhã,chegava no lugar onde tinha que exercer a função que fui incumbido as 11:00 e sai às 15:00 e na primeira semana fiquei livre na sexta,sábado e domingo.

Na quarta feira quando já tinha voltado ao hotel decidi dar uma volta pela cidade e chamei a Érica pra ir comigo,ficamos “zanzando” sem destino pelas ruas da cidade,acabamos achando uma loja de discos muito bacana lá e ficamos horas lá dentro….comprei 3 discos um do Black Sabbath,outro do Beatles e um do Depeche Mode.

Na sexta-feira decidimos ir nós 3 em um barzinho bem bacana que ficava próximo a um museu automobilístico que havíamos ido no dia anterior e o bar as cadeiras era naquele estilo sofá onde várias pessoas sentam.Ficamos lá conversando e vendo o movimento,quem entrava e quem saía até que certa altura dois americanos acabou se sentando junto com a gente e conversando com a gente,
Eu sempre tive essa ideia de que americano era um povo frio e indiferente,mas no caso desses dois o Roger e o Andy,eles foram bem legais,puxaram papo com a gente perguntando se éramos turistas,dissemos que sim e dai a conversa emedou e dali fomos pra outro barzinho chamado Punchline,é um barzinho de comédia muito bom,tenho minhas ressalvas quanto ao humor americano e da forma como os garçons de lá são rudes e sem paciência,mas no geral o lugar é bom.

Quando terminou a noite o Andy acabou ficando com a minha recém amiga Érica,enquanto eu,o Tobias e o Roger ficávamos de “vela” rsrs.O Andy pegou o telefone da Érica e falou que ligaria no dia seguinte pra gente sair junto de novo no sábado ficaríamos o dia inteiro atoa.

No dia seguinte levantei bem cedo,fui na cafeteria que adorei que ficava perto do hotel e fui no Parque histórico de Sacramento,é uma rua que mantém a aparência das casas de velho oeste ao estilo vitoriano,é uma verdadeira viagem ao passado e no impulso tava passando perto de um estúdio de tatuagem e decidi fazer uma tatuagem pra marcar essa viagem que eu fiz,fiz o símbolo do solístico maia…hehe

Quando voltei pro hotel logo me deu um estalo na cabeça e pensei,”mas gente eu estou na Califórnia”,ainda não havia passado pela minha cabeça de tentar ir a São Francisco (a meca gay),fui perguntar ao recepcionista quanto tempo levava pra eu chegar lá,ai ele me informou que que era em torno de 2 horas se eu fosse de carro e 2 horas e meia se fosse de ônibus em linha direta.

Dai a Érica me perguntou se eu iria fazer turismo de novo pela cidade, dai falei da minha intenção de ir à São Francisco,o Tobias ficou no hotel dizendo que não iria sair.O Andy ligou pra Érica um pouco mais tarde chamando pra sair e no papo a Érica falou que eu estava querendo ir pra São Francisco,o Andy se ofereceu pra irmos todos juntos,que ele nos levaria de carro e partimos.Demorou menos de 1 hora meia.

73654_Papel-de-Parede-Ponte-de-Sao-Francisco-California_1680x1050

No caminho o Andy me vira e pergunta na lata “você é gay cara?” hahaha eu sem a menor cerimônia respondi “sim sou”,ai ele respondeu “ah suspeitei por você está querendo ir a São Francisco”,a Érica ficou com cara de besta e o Roger tava com cara de nada(como sempre,sem expressão),o Andy me tratou com naturalidade,depois que perguntou isso,não falou mais no assunto e ninguém ficou falando no assunto dentro do carro,só disse que se eu fosse pra alguma coisa LGBT em São Francisco,ele não iria,que era pra eu anotar o telefone dele e quando eu quisesse voltar pra casa era só eu telefonar pra ele,que iríamos embora todos juntos.

Chegamos lá e vi a Golden Gate,me senti dentro do jogo “Drive” do PS1 hahaha era meio dia ainda,eu deu pra ir a vários lugares legais,o bom de São Francisco é que se vai pra qualquer lugar de bonde,muito bacana,é um bilhetinho que custa 2 dólares e o bom de ter dois americanos com a gente é que fomos em vários pontos turísticos com eles de guia,começamos na Chinatown,lugar super legal,até me arrisquei a comer aquelas comidas estranhas que eles fazem por lá onde nem ousei perguntar o que era (não era ruim rsrs),depois passamos numa lojinha de souveniers e guloseimas.

são francsicoEntramos numa loja e compramos algumas roupas também,até que a Érica ficou cansada de andar,dai falei pra procurarmos algum hotel barato pra pelo menos tomarmos um banho e descansarmos um pouco,achamos um hotel bem legal e reservamos dois quartos,um pro Andy e pra Érica,que suponho eu nessa altura eles já deviam está doidos pra “funfar” hahaa e outro pra mim e pro Roger (com cama de casal hahahaa).

Depois que tomei um banho e descansei algumas horinhas,avisei pra eles que iria fazer meu “tour” pela cidade,eles entenderam o recado e o Andy só falou que quando eu quisesse partir era só ligar.

Nessa eu fui pra famosa Castro Street,onde ficam a grande concentração de gays de São Francisco.

Como esse post está ficando muito longo vou continuar contando o que aconteceu comigo em um outro post….

Acertando os pontos…

Olá gente….Não eu não morri,estou bem vivo,só que aconteceram algumas coisas durante esse tempo que me fizeram ficar distante do blog por excesso de ocupação,uma delas é que a empresa que eu trabalho me mandou como representante e mais dois funcionários para Califórnia por que tínhamos inglês fluente…rsrs bem vou continuar a história de onde eu parei.

Após aquele reencontro que eu tive com o “D” no bar e a ligação dele pra mim na manhã seguinte, isso acabou trazendo de volta os sentimentos que aos poucos estavam esfriando,e de fato já estavam esfriando,eu nem ficava pensando mais nele e já tava tocando minha vida,mas acabou que isso foi como jogar querosene na brasa da fogueira e trouxe tudo à tona novamente.

Passaram uns 3 dias desde que ele me ligou,ele novamente tentou falar comigo,só que dessa vez ele puxou papo pelo whatsapp,me cumprimentando,eu em um primeiro momento tentei ignorar a mensagem,mas não consegui evitar e acabei dando corda pro assunto,cumprimentei de volta,perguntei como andavam as coisas,ele disse que tava levando,logo em seguida ele me perguntou do meu amigo “G“,que falei dele aqui,aquele que ele deu uma crise de ciúmes logo após eu ter dado fim a nossa relação,aliás o G foi algo bem passageiro,o G depois de um tempo de muito insistir,acabou desistindo e hoje nem fala mais comigo direito,quando me vê finge que não conhece,”D” perguntou como andava nossa relação (q relação?)…só respondi que não estávamos juntos.

Depois de um tempinho conversando ele disse que não queria que eu ficasse com raiva dele,que nós havíamos acabado o envolvimento de uma maneira ruim,brigando e que queria voltar as boas comigo.Nisso ele me convidou pra ir beber em um lugar que vende cervejas artesanais,acabei aceitando o convite,já tinha ido a esse lugar umas 2 vezes antes,é um lugar bem calmo,sem muito movimento.

Cheguei sozinho por volta as 19:00 hrs e fiquei lá tomando cerveja sozinho até o “D” aparecer,NOSSA SENHORA,novamente,toda vez que eu vejo ele me vem esse sentimento de coração disparado,nervosismo e suor frio rsrs dessa vez não foi diferente.

O papo rolou normal e foi bom voltar a falar com ele,até que ele começou a falar de “nós” novamente,disse que tinha ficado chateado da forma ruim que terminamos e comentou do ocasião do bar,que reencontrei com ele por coincidência e pelo que ele falou os efeitos neles foram exatamente os mesmos que causaram em mim,ele disse que minha atitude no bar pareceu que eu não sentia mais nada por ele e que minha atitude no telefone tinha dado mais certeza ainda.

E foi nisso que acabei contando tudo de como eu tinha ficado mal no dia seguinte aquilo,de como eu estava até receber a ligação dele e como fiquei depois,que aquilo tudo tinha trago tudo à tona novamente e nisso ele vira e fala

“então pq a gente não tenta de novo e volta a ficar junto? você gosta de mim e eu gosto de você,não tem por que ficar separado e brigado”…não foi exatamente isso que ele disse,mas o que ele quis dizer foi isso,foi nessa que decidi por dizer…

“Na vez que a gente brigou eu te disse um monte de bobagem e monte de coisa que eu não queria ter dito,mas teve uma coisa que eu disse que eu falei de todo coração e mantenho o que disse,que você fosse resolver suas questões pessoais primeiro e depois que resolvesse viesse me procurar,eu não vou me submeter a esse tipo de situação novamente,a gente pode continuar sendo amigo,sei que é difícil não confundir as coisas e sentimentos,mas por hora vai ser isso”.

Isso que eu falei parece que foi meio que um balde de água fria nele ou um choque de realidade,sei lá,claro que minha vontade era de me agarrar com ele de novo,sentir o calor do corpo dele novamente junto ao meu,mas deixei meu lado racional falar mais alto dessa vez,nisso acabou que o papo esfriou,ficou mais morno até que fomos embora cada um pra sua casa.

Continuamos mantendo contato,até que na metade do mês passado recebi a notícia que iria como representante da empresa onde eu trabalho à Califórnia,EUA,ficar por lá por 2 semanas à trabalho,nossa quando eu recebi a notícia eu fiquei muito feliz,contei pro meus amigos todos e minha mãe ficou hiper preocupada….rsrs coisa típica de mãe coruja..

Agora essas semanas que passei nos EUA vou contar em uma outra postagem.

O Diabo veste Prada…..e veste camisa preta e calça jeans também.

Olá pessoas como vão? Esperam que estejam ótimos.Bem nesses últimos fim de semanas eu meio que decidi que iria dar uma pausas nas baladas,eu realmente estava extremamente baladeiro e agora parece que cansei um pouco tenho dado preferência a ir a barzinhos,pizzarias e rodízios de sushi com amigos jogar conversa fora,eu gosto muito de balada,mas balada não é o local ideal pra se trocar uma ideia.

Nesse sábado eu chamei a Denise e mais a minha amiga de trabalho que estava gostando de mim hehe pra sair,falei dessa amiga minha nesse post,passado aquele susto dela descobrir que eu sou gay,as coisas estão ótimas,continuamos super amigos,e nessa chamei ela pra vir conosco em um bar de sinuca muito bacana,lá as vezes rola umas atrações musicais bem bacanas e o público é bem misto pelo que deu pra notar,é predominantemente heterossexual (pelo menos parece rsrs),mas dá pra ver que alguns gays vão pra lá também,eu já tinha ido a esse bar duas vezes e sempre gostei de lá,a primeira vez foi com alguém que eu gostava muito,então ir a esse local me fez lembrar do sujeito…rsrs sim é do “D” que to falando,ele havia me levado a esse local logo após nossa primeira transa pra conversarmos,então ir a esse local me fez ficar nostálgico e juro que na hora que decidi ir pra esse local eu não estava querendo ficar lembrando dele,foi por que eu gosto do local mesmo e achei uma boa ideia nós irmos lá,mas quando eu pisei no bar a lembrança veio,estranho que já havia retornado aquele local com a Denise e não havia sentido isso,mas daquela vez eu senti,talvez em função do meu atual estado de espírito carente rsrs.

Chegamos bem cedo,acho que era por volta das 20:30,no dia tava rolando um samba e MPB,a artista era bem ruinzinha rsrs,enfim….estávamos numa espécie de “varanda”,era uma área externa pra fumantes,eu reduzi bastante o cigarro,fumo 2 ao dia,acho que nem dá pra dizer que sou fumante,mas quando bebo cerveja,chop e destilados em geral a vontade aumenta bastante,ficamos naquela área externa por um bom tempo conversando,a noite não estava muito fria,estava ameno e estava agradável ficarmos conversando.

Conversa vai e conversa vem,a Denise estava falando sobre um assunto que não estava dando muita atenção,me lembro que era algo sobre uma roupa que ela tinha mandado pra um costureira fazer,ai do nada ela interrompe o assunto e olha com cara de que tinha visto um fantasma,eu tava meio avoado na hora,distraído com pensamento meio longe ai a Denise me fala “Não olha agora,disfarça e olha quem acabou de entrar”,eu sou péssimo pra fazer isso,disfarçar e fingir que não tá olhando,bem eu apenas me virei e olhei e quem não me entra no maldito bar……sim o “D” junto com a esposa dele…. PUTA QUE PARIU,foi a primeira coisa que eu pensei,eu imediatamente fiquei gelado e totalmente desconfortável com a situação,isso sem falar que meu coração quase saltou pela boca,na hora a primeira coisa que e falei pra Denise e pra minha amiga do trabalho foi “vamos embora daqui”,a Denise não queria ir embora,até por que pra entrar nesse bar tinha que pagar entrada,acredito que ela usou essa desculpa por que queria ver minha reação diante tamanha saia justa.

Bem eu estava com cara de pânico no começo,mas depois de um tempo eu relaxei,eu olhei onde eles foram,eles sentaram na parte interna do bar e pelo jeito o “D” não tinha me visto,pelo menos acho.O foda é que quando tomo cerveja o tempo inteiro me dá vontade de ir ao banheiro e nessas eu fui ao banheiro umas 3 vezes,a primeira vez que levantei tratei de passar bem longe deles e o mais rápido possível,na segunda vez que me deu vontade passei pelo mesmo local,mas quando to saindo do banheiro, o “D” tava entrando e deu de cara comigo,na hora fiquei em choque e sem graça,não falei nada e sai sem nem mesmo cumprimentar,putz e ele estava vestido com a roupa que eu disse uma vez pra ele que eu gostava,uma camisa preta e uma calça jeans meio surrada,voltei rápido pra minha mesa mais branco do que papel.

A Denise começou a rir e perguntou o que tinha acontecido no banheiro,por que ela viu que ele levantou logo após eu ter ido no banheiro,falei que não tinha acontecido nada,que só tinha visto ele e não tinha nem cumprimentado.Minha amiga de trabalho ficou boiando no que tava acontecendo e a Denise fez o favor de explicar,já que eu estava ainda meio atordoado com a situação,depois disso dei umas olhadas de “rabo de olho” pra ver se ele tava olhando pra gente,e nas vezes que olhei disfarçado percebi que ele tava olhando pra gente.

Até que veio a terceira vez que me deu vontade de ir ao banheiro,to lá mijando e vejo o “D” entrar novamente,novamente entrei em pânico,fiquei nervoso terminei rápido e evitei o contato visual,quando to lavando minha mão olhei no espelho e ele tava me olhando,encarei por alguns momentos sem falar nada e sai,nossa meu coração parecia que ia parar.

Depois disso tudo,o D e a esposa vieram até a minha mesa nos cumprimentar,ele veio dizendo esse aqui era meu amigo de trabalho,lembra dele?.A esposa dele é muito simpática e sorridente,me cumprimentou,trocou umas palavras rápidas e ambos foram embora,antes de sair o maldito me deu uma última encarada e eu acabei olhando de volta,a Denise começou a rir,ela sempre gosta de ver o circo “pegar fogo”,depois de tudo isso fomos embora.

Chegando em casa cadê que eu conseguia dormir? fiquei pensando nele o tempo inteiro e danei a chorar,no dia seguinte tava eu fazendo meu café da manhã,meu celular toca um número que eu não conhecia,atendi e ficou um tempo sem ninguém falar nada do outro lado,depois de um tempo ouço alguém falar “Foi bom te ver ontem”…na hora fiquei branco de novo,sem saber o que falar,dai respondi “Quem é que ta falando?”,claro me fazendo de besta,pois eu sabia quem era e por pura falta do que dizer acabei dizendo isso,”Sou eu po,troquei de número”,eu tentei fingir uma indiferença,depois disso ele me fala “Você continua lindo”,nessa eu inventei que tinha que resolver um problema que não podia conversar e desliguei o celular.

Esse reencontro com o “D” me foi um mix de emoções,mas que definitivamente me fez um mal terrível,foi como se tivesse retirado uma casca de uma ferida cicatrizada.

Afinal o que há dentro do armário?

 

Acho que esse vídeo ilustra bem o nome que esse blog leva,quando decidi abrir o blog eu estava em um momento de vontade de me libertar totalmente das amarras que me prendiam e o blog me ajudou muito,acho que o ato de escrever aqui serve como uma espécie de diário,com o adicional que os leitores expõe suas visões sobre meus dilemas e seus casos pessoais e me ajudam a refletir e tentar tomar as decisões em minha vida.

As pessoas nesse vídeo muito do que elas passam eu já passei,já tive a fase de ser um sujeito confuso,o de não saber se realmente era isso que eu sentia,ou se era uma meres curiosidade,já tive a fase da negação,o de não se enxergar no esteriótipo pregado pela mídia,já tive a fase de tentar mudar isso em mim,por achar que isso era algo reprovável,algo ruim,a preocupação com a  reação da família conservadora e religiosa com toda questão dogmática religiosa que prega esse sentimento de culpa no homossexual e finalmente entrei na fase da aceitação de quem eu era,até finalmente chegar ao ponto que hoje estou,a fase que tenho orgulho de ser quem eu sou,sem precisar negar pra ninguém e nem ver isso como algo reprovável ou ruim.

Mas por experiência própria posso dizer que a vida fora do armário pra mim foi muito mais fácil,parece que todo peso que eu carregava nas costas desapareceu,me sinto livre,realizado e feliz,deixei de me preocupar em querer atender a expectativas dos outros e passei a olhar mais pra mim,e outra,as pessoas me tratam com respeito e não sinto nenhum tipo de diferenciação,isso não me atrapalha no meu convívio social,muito pelo contrário,abriu uma gama de novas possibilidades,conheci muita gente nova que sabem quem eu verdadeiramente sou e gostam de mim pelo que eu sou e não pelo que eu “deveria” ser.

a frase final do vídeo resume bem a questão,que a partir do momento que você se aceita,você atrai pra si pessoas que te aceitam,não podemos esperar que todos na sociedade vão nos aceitar,infelizmente não podemos agradar a todos,começar a agradar a nós mesmo já é um grande passo.

E o final do vídeo é muito legal e surpreendente….não vou falar pra não estragar a surpresa,caso não tenham visto ainda :)

E pra completar tem esse outro ótimo video que hoje retrata minha atual situação,sem medo,de cara limpa e realizado :) a gente,já virei fã desse pessoal do Põe na roda <3

Da cor do pecado,oh perdição hahaha

Esse post que vou fazer agora foi um pedido de um leitor do blog feito através dos comentários

caik  “iae cara beleza ? tenho uma pergunta , o que você acha dos negros ? acha eles bonitos ? já saiu com algum ? se não sairia ? obrigado adoro seu blog…[…]cara faz um post especial sobre negros , por favor , pois sou e sinto uma grande repressão dos gays em relação aos negros , faz um post ai com alguns que você acha bonito e talz , mais faz uma seleção de seu gosto , não coloque aquelas primeiras fotos que aparecem no google igual um outro cara que eu pedi fez , nossa cara se você fizesse isso ficaria muito grato , obrigadoooo ;)”

 

Primeiro de tudo,respondi a pergunta do nosso leitor com um grande SIM,acho homens negros lindos,só eu sei como eu fiquei assistindo aquelas cenas do Will Smith sem camisa em “Eu robô” HAUHAUHA,mas vale salientar uma coisa,não é o meio gay que reprime os negros,é a sociedade no geral,inegavelmente fazemos parte de uma construção cultural racista,onde existem os padrões ideais,o que é uma grande besteira,fora a enorme contribuição que o nazismo deu para isso,a de colocar traços europeus como sendo mais belos,melhores ou superiores ao das demais etnias,o que muita gente acaba absorvendo de forma inconsciente.

O primeiro grande passo pra se derrubar esse paradigma,são os próprios negros verem que são sim belos com todas as suas características étnicas,um negro não precisa de “europeuzar”….pra ser visto como alguém belo como é o caso da Beyonce e renegar suas características,bem enfim…vamos ao que interessa,minha seleção de homens negros que acho lindos…e começando pelo que eu já citei…

Will Smith

will smith

Quem diria que aquele magricelo que fazia um Maluco no pedaço,seriado que faz parte da minha infância travessa ia virar esse monumento hahaha,toda vez que penso em Will Smith me lembra de quando eu tava assistindo “Eu,robô” e aparece o Will Smith sem camisa,nossa foi só tempo de eu entrar em ebulição e ir correndo pro banheiro.O que aumenta meu fetiche por ele é esses rumores de uma época que ele estava em separação com a esposa,de que ele a teria deixado por causa de um rapper…ai Jesus,será que ele é gay?

Ronnie Amadi

Ronnie Amadi

Ronnie Amadi é um jogador de futebol americano,nas épocas que eu assistia muito TV à cabo e que continhas alguns canais americanos,já tive a oportunidade de vê-lo jogar,mas sem prestar muita atenção,só fui prestar a atenção no quanto ele era bonito depois que ele concedeu uma entrevista a um canal americano,acho que era Spike TV,não lembro e putz,sim o cara é gato.

Idris Elba

Idris Elba

Outro ator que me causou uns efeitos bem obscenos hahaha,eu sempre tive problemas de insonia…resultado,via todo tipo de série da madrugada e claro que via muitos filmes que passavam no Super Cine rsrs um desses filmes foi o “Obsessiva”,filme que trás esse deus grego,junto com a lindíssima e também negra Beyonce no papel de esposa do Idris,ele faz o papel de um empresário,advogado,sei lá não me lembro agora o que era,que contrata uma estagiária que adquire uma obsessão sexual pelo Idris (e com toda razão haha),e isso começa a afetar o casamento dele a níveis extremos,enfim…é um ótimo suspense e drama,pra quem gosta do gênero.

Stefan Burnett (Mc Ride)

DeathGrips-608x405

O Stefan Burnett ,ou como é conhecido Mc Ride,é o líder da banda de Hip hop Industrial,Death Grips,que por sinal sou fã,conheci o Death Grips em mais uma das minhas garimpadas musicais na época que eu estava em um vício por música Industrial do tipo Throbbing Gristle,SPK,Test Dept e cia e com as fusões de gêneros rock  + Industrial que sai coisas como o Nine Inch Nails,electro + industrial que sai coisas como o Skinny Puppy….o Death Grips une o hip hop com a música Industrial e com uma pitada de postura punk no palco,isso por si só já me encanta,o fato é que tenho uma quedinha por barbudos também e o Stefan é pra mim um dos melhores e mais bonitos rappers da atualidade,pra quem não conhece o som….

Rafael Zulu

rafael zulu

E é claro que um brasileiro não poderia ficar de fora,confesso que nunca fui de acompanhar novela,realmente não gosto,as poucas vezes que vi alguma coisa era por que estava sentado na sala e acabava vendo de tabela,mas o Rafael Zulu é o tipo de cara não me passou despercebido,acho o que eu acho mais bonito nele é o sorriso e…todo o resto hahaha,mas enfim dispensa comentários….rsrs

Alexandre Pires

alexandre-pires

Sim detesto pagode,e sim Alexandre Pires é gostoso pra caralho hahaha não tem o que dizer muito,só não vá cair na besteira de caçar fotos dele no começo da carreira haha se bem que…. as vezes sirva de estímulo,todo mundo tem jeito nessa vida hahaha

Terry Crews 

the-expendables-crews

Terry Crews eu conheci ele por meio daquele engraçado filme “As Branquelas” naquela mítica cena dele “desmunhecando” ao cantar A Thousand Miles da Vanessa Carlton hahaha ele apesar dessa cara de malvadão e tamanho,ele parece ser um cara muito engraçado e de muito bom humor,o que me fez virar ainda mais fã dele foi o seriado “Todo mundo odeia o Chris”.

Djimon Hounsou

o-DJIMON-HOUNSOU-570

Confesso que acho péssimo quando o Djimon Houson resolve deixar aquela barbixa de bode hahaha,mas acho ele lindo demais e algo no corpo dele me faz lembrar as esculturas de Micheangelo,tamanha a perfeição,perfeição em mármore negro,eu gostei muito dele no filme Diamante de Sangue,que é um filme que fala sobre a extração de diamante em regiões africanas e de como isso gera morte e guerra,super recomendo o filme.

NeYo

neyo-fashion

NeYo é outro artista que não simpatizo com sua arte,mas escuto muito de tabela suas músicas nas rádios e toca muito nas baladas que eu frequento também,conheci ele por meio da MTV em um daqueles programas de TOP 10 de clipes,sempre achei ele bonito,e sempre acho lindo negros que tem esses olhos meio puxados assim,putz é sexy hehe

Bem por enquanto é isso,pode ser que eu venha a fazer uma parte 2 dessa lista,por que gente não falta…rsrs Eu queria colocar uma foto de um amigo meu aqui,mas seria muita falta de ética fazer isso e pior ele é heterossexual rsrs enfim,com ele eu fico só na vontade mesmo.Ahhh Marlon,eu ainda te pego  HAHAHAHA

E o “gaydar” alertando….

Ola pessoal,como vocês estão? hehe espero que estejam bem…rsrs Pois bem o que vou contar agora já aconteceu faz um bom tempo,mas vai saber por que cagas d’água esqueci de postar aqui no blog,na realidade acho que por que só fui me recordar desse evento ontem,eu sofro de graves problemas de insonia,demoro a pegar no sono e quando decido ir dormir,isso já altas horas da noite,fica passando milhares de coisas pela minha cabeça,dai ontem lembrei desse episódio e pensei “putz isso dá uma boa postagem” rsrs

olhar desconfiado

 

Bem,como quem acompanha o blog sabe,eu sai de casa e estou dividindo um apartamento com meu amigo que é tatuador profissional,falei dele aqui nesse post ,eu conheci ele durante um trabalho que fui fazer nas minhas costas e durante as sessões a gente trocou umas ideias e acabou surgindo uma identificação bacana,um coleguismo mesmo e eu comecei a acompanhar ele em alguns eventos que tocava punk e hardcore,nisso a gente acabou virando amigos mesmo.

Teve uma época que ele foi embora de São Paulo e foi morar em Brasília,mas voltou e me convidou pra dividir apartamento com ele,mas antes que eu aceitasse,eu decidi falar pra ele que era gay,isso por que eu já tinha intenção de levar pessoas pra lá claro…rsrs.Pra minha surpresa a reação dele foi de completa naturalidade,o que me deixou bastante animado quanto a isso.

Dai sai de casa e agora eu moro junto com ele,mas nunca rolou nada entre a gente,até por que eu não sinto atração sexual por ele,ele não é um cara feio,mas o meus sentimentos por ele é de amizade mesmo,coleguismo.

Dai nesses meses de convivência que tivemos ele arrumou uma namorada,ela as vezes aparece lá em casa,não sou amigo dela,ela entra senta,me cumprimenta,trocamos algumas palavras,mas não pintou identificação entre a gente pra uma possível amizade,ela é muito fechadona e também acho ela muito esnobe,metidinha mesmo rsrs,já até falei isso com meu amigo,ele dá risada quando falo isso.

Dai certo dia ele chegou lá em casa puto da vida,batendo porta e com uma cara de que tinha acabado de brigar,na mosca,perguntei o que tinha rolado,mesmo já desconfiando o que tinha rolado,ele me disse que tinha brigado com a namorada por que ela teve uma crise de ciúmes em um evento que os dois tinham ido,a namorada dele viu ele conversando com uma ex-namorada,deu pití,jogou bebida nele,nisso eles ficaram do lado de fora do evento batendo boca e terminaram o namoro na porta da boate,terminaram entre aspas por que depois desse dia eles tiveram algumas recaídas pelo que ele me contou,dai depois que ele me contou isso tudo ele simplesmente me diz “Putz você não me entende como é lidar com mulher histérica”,ai eu respondi “Pior que entendo sim,já namorei com mulher caso não lembre”,ai ele disse “putz é verdade,mas com certeza que homem com homem as coisas devem ser mais fáceis,homem entende homem,então não tem esses dilemas”,dei uma risadinha e falei “ue arruma um homem então ue haha,quem dera fosse fácil também,os problemas que heteros tem em relacionamentos,homossexuais também tem,em algumas coisas é até pior”….depois disso o assunto morreu,ele foi pro banho esfriar a cabeça e foi dormir,confesso que achei essa colocação dele meio estranha,ainda mais pelo tom de voz que usou,mas deixei passar batido.

Ai depois desse episódio nós fomos em um bar de rock juntos com mais um amigo meu que é gay que gosta de rock clássico e mais um amigo dele,que não conhecia muito,o bar tem um clima ótimo,aquele clima de “bar sujo de motociclistas americanos” hahaha ADORO isso…..e lá ficamos um tempão trocando ideia e fazendo os machões virando uma bebida atrás da outra e nessa meu amigo ficou bêbado pra caralho,eu tive que acabar levando ele pra casa,me despedi do pessoal e levei ele pra casa,quando chego em casa,ele começou a chorar,vixe aquele típico choro de bêbado,levei ele pro banho,tirei a roupa dele e coloquei ele debaixo do chuveiro frio,ele é bem pesado,mas aguentei levar ele pro chuveiro,antes tentei fazer ele vomitar,mas ele não conseguiu,enfim…na hora que to dando banho nele,percebi que ele começou a pegar no pênis e eu tirando a mão dele o tempo inteiro e falei “olha se você continuar eu vou te largar aqui no chuveiro sozinho”,ai ele ficou mais quieto,ai levei ele pro quarto pelado mesmo,ai fui no meu quarto buscar um cobertor,fui lá e voltei e quando vejo ele tava se masturbando em cima da cama,não falei nada,entrei peguei o cobertor joguei em cima dele e quando to saindo ele me puxa pela roupa e fala “me faz um carinho”,na hora eu fiquei irritado com ele,falei que não ia fazer nada e sai do quarto.

Depois disso,no dia seguinte,eu acordei bem cedo e ele acordou lá pra depois de 14:00 da tarde,dizendo que não lembrava de nada,que tava com a cabeça doendo e talz,ai eu perguntei “você realmente não lembra de nada?”,ele falou que não,que só lembrava de quando tinha chegado em casa e entrado no chuveiro,na hora não falei mais nada.

Ok que quando bêbado a gente faz muita merda sem noção,mas há quem diga que o que a gente faz bêbado foi pensado sóbrio,eu particularmente sei mentir quando estou bêbado hahaha uma habilidade para poucos,eu realmente nunca tive motivos pra desconfiar desse meu amigo e jamais que iria me aproveitar daquela situação,mas que hoje em dia eu já fico com o gaydar ligado em relação a ele,isso eu fico,pode ser que ele tenha algum tipo de curiosidade que veio a tona quando bebeu,ou talvez um bissexual que reprime uma parte dos desejos,vai saber….